Choose a Language:

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

A Abercrombie & Fitch diz não às gordinhas

A marca americana sensação entre os jovens não fabrica modelos G e GG para mulheres. Problemas na fábrica? Não, é a estratégia do presidente que não quer pessoas 'acima do peso' arruinando seus negócios

Loja da Abercrombie & Fitch em Nova York
Loja da Abercrombie & Fitch em Nova York: presidente da companhia não gosta de pessoas gordas (Mario Tama/Getty Images)
A loja de roupas Abercrombie & Fitch, marca desejada por adolescentes e universitários americanos, tem um público fiel no Brasil. Mas a preferência tem limite: o tamanho das roupas desenhadas pelos estilistas da marca. O motivo é a estratégia que o presidente da companhia, Mike Jeffries, adotou: ele não quer relacionar a imagem da Abercrombie com pessoas "acima do peso".
Sim, é politicamente incorreto - e Jeffries não tem vergonha dessa preferência. A Abercrombie de Jeffries vai propositalmente contra a moda da beleza natural, como a Dove mostrou em seu filme Real Beleza“Ele não quer pessoas ‘grandes’ comprando em sua loja, ele quer pessoas bonitas e magras”, contou Robin Lewis, co-autor do livro The New Rules of Retail (As Novas Regras do Varejo, em tradução livre), ao site Business Insider. Nas páginas da publicação, Lewis e seu parceiro de trabalho, Michael Dart, explicam que Jeffries quer passar a imagem de que a marca só é usada por pessoas ‘gostosas’, populares e com boa aparência. 
Em 2006, o presidente da Abercrombie já havia deixado claro essa estratégia ao dizer para o site de notícias Salon que a comunicação com pessoas bonitas é a base de seu marketing e que só contrata funcionários bem apessoados para suas lojas porque assim atrai uma clientela também mais bonita. “Nós não vendemos para nenhum público além desse”, disse na ocasião.
A única razão, de acordo com os autores do livro, para que a Abercrombie vender roupas masculinas de tamanho maior é atingir os atletas, que são mais musculosos. “Jeffries não gosta de pessoas gordas e não quer que elas arruínem sua marca”, comenta Lewis. A estratégia é peculiar e não é vista em outras marcas concorrentes como H&M, American Eagle, GAP, Banana Republic, Old Navy, entre outras. 

Fonte: Revista Veja on-line

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Gordinha: Na hora do Sexo!

Não há diferenças significativas entre mulheres com peso normal e mulheres acima do peso, no sentido de orientação sexual, freqüência das relações sexuais, muito menos com relação a ter desejo. O que acontece é que mulheres acima do peso, podem se sentir inseguras em relação ao parceiro, sofrer antecipadamente o medo de rejeição por inadequação aos padrões sociais de beleza. Isso afeta a auto-estima!
Se você não se sentir confortável com o seu corpo, na hora do sexo, crie alguns fetiches como, por exemplo, colocar uma camisa transparente e permanecer com ela na hora da transa. A satisfação que se pode viver no sexo e nos relacionamentos está atrelada a imagem e a disponibilidade de viver prazerosamente o encontro e sentir o máximo de prazer.Isso afeta a autoconfiança e auto estima
É verdade que o Kamasutra de posições sexuais nem sempre é fácil para as gordinhas, mas muitas magrinhas sedentárias e sem autoconfiança também sofrem com as posições.
As posições que costumam ser mais satisfatórias e facilitam uma melhor penetração e o contato dos genitais são:
- O parceiro por trás com a mulher debruçada sobre um apoio ou de quatro
- A mulher sentada ou inclinada, por cima do parceiro, de frente ou de costas.
Essas posições permitem uma maior liberdade de carícias, sem que o peso ou o calor incomodem.
Existem mulheres gordinhas que ousam e assumem sua beleza e sensualidade, aprendem a serem desejadas do jeito que são, merecedoras de felicidade, sensualidade e desejosas de viver o prazer. 
Portanto, enquanto você não chega onde quer, aproveite e viva cada momento de uma forma única.
A vida nos apresenta, por vezes, momentos difíceis e ásperos. Saber aceitá-los e transformá-los a nosso favor é um dos segredos do bem viver. Lembre-se: A auto-aceitação é o primeiro passo para a mudança.
Fonte:Fátima Mourah  “Personal Sexy Trainer”, professora de artes sensuais e autora dos livros “Sexo pra mulheres casadas” e “Sexo, amor e sedução”. Dá palestras e cursos de striptease, pompoarismo, pole dancing, como atingir o orgasmo e massagem erótica. 

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Fashion Fix Falsa Magra - Carla Collela

Carla Colella  35 anos
Auxiliar de serviços gráficos

 1-FM: O que te levou a participar da promoção Fashion Fix Falsa Magra?


CC: Eu tive uma decepção muito grande e estava muito triste, deprimida, por conta de uma separação e da perda de um emprego, então vi que o Márcio postou no Facebook que começaria a promoção de um dia de transformação, uma amiga de Fortaleza me incentivou a participar e me inscreveu, a partir daí com a ajuda de várias pessoas consegui votos e ganhei a promoção!

2-FM: Como foi a transformação?

CC: Me senti uma princesa, fui super paparicada por todos, principalmente pelo Márcio que é um doce de pessoa, me ajudou a me vestir, e me paparicou o tempo inteiro. Me senti realmente num dia de princesa!

3-FM: Você percebeu alguma diferença na sua autoestima?

CC: Quando acabou a maquiagem, coloquei meus óculos e nunca me senti tão linda na vida, consegui perceber que por trás de mim há uma mulher de verdade e que eu posso ser linda! E não foi só uma maquiagem, senti como se tivessem tirado uma sombra negra que estava em mim e tivessem me dado algo muito valioso. Quem me conhece e sabe como eu estava triste percebe que esse dia foi um marco na minha vida, depois disso tudo mudou, antes eu usava só um batonzinho, hoje eu tenho quites de maquiagem e me cuido muito mais, não saio de casa sem fazer uma escova no cabelo! Sem dúvida a mudança foi grande e além da transformação, recebi apoio e conversas muito importantes, foi realmente um marco na minha vida!

4-FM: O que você diria para quem quer mudar e não sabe por onde começar?

CC: O primeiro passo é se olhar no espelho e independente do que você vê ali, se amar! Deixar de amar outras pessoas, outras situações e dizer para si mesma: “Eu posso, eu não sou feia, não sou gorda!” A principal dica é ter força de vontade, tirar a venda dos olhos, abandonar o papel de coitada e assumir o papel de mulher de verdade! Você tem que se aceita e se amar acima de tudo.

5-FM: Como você vê o Plus Size no Brasil? Acha que ainda falta alguma coisa?

CC: Acho que a Falsa Magra tem roupas muito lindas que faz com que as gordinhas não fiquem parecendo senhoras, porque hoje conseguimos nos vestir bem e ficar jovem mesmo usando tamanhos maiores! O único problema que vejo ainda na moda plus size é o valor das roupas, pois ainda são caras, falta acessibilidade para pessoas que não tem condições financeiras para isso.

6-FM: A Falsa Magra te ajudou de alguma forma?

CC: Claro, a Falsa Magra me ajudou nisso, pois provei roupas que ficaram bonitas, que me deixaram jovem e com um corpão, ressaltando o que há de bonito em mim. Um exemplo é que antes de conhecer as roupas da Falsa Magra eu não usava regatas pois tinha vergonha do meu braço, ficava incomodada, e quando provei as roupas me senti bonita como nunca achei que poderia ficar, mesmo de regata e roupas que eu não usaria anteriormente. Me senti tão bonita como nunca me senti antes!


7-FM: Qual dica você daria para as mulheres que também vestem Plu Size?

CC: Ousar!!! Devemos vestir a roupa, por mais que não seja o nosso estilo, experimentar coisas novas, não ter medo de ousar! Mas principalmente olhar no espelho e gostar do que vê! Mas nunca se esquecer de OUSAR!


Participe voce tambem do nosso Fashion Fix e revele toda beleza que voce tem guardada!

terça-feira, 17 de setembro de 2013

Como acabar com a flacidez

A maioria das pessoas notam que a pele fica mais flácida em torno dos 30 anos de idade ou devido a uma grande perda de peso em pouco tempo ou até mesmo depois da gestação. Os locais mais atingidos pela flacidez são braços, coxas, face e barriga. Em mulheres mais idosas, que se expõem constantemente ao sol e tem a pele clara a tendência a ter a pele mais flácida devido a uma perda de peso é muito maior.

Hoje me dia com a gama de tratamentos estéticos é possível reverter grande parte dessa flacidez sem partir para um cirurgia que é lago mais invasivo e difícil de controlar o resultado. É claro que esses tratamentos não são baratinhos. Mas antes de partir pra eles, existem coisinhas que você pode mudar para evitar a flacidez como:

- Tomar colágeno e comer alimentos ricos da substância como gelatinas.
- Tomar bastante líquidos.
- Fazer exercícios regularmente, principalmente que trabalhem a musculatura do abdômen, coxas e braços.
- Use desde já um creme firmador, um que possui um ótimo custo benefício é o da Nívea.
- Consumir proteínas é fundamental para a produção de fibras e colágeno.
- Evite a exposição excessiva ao sol, isso só resseca a pele e faz com que ele envelheça mais rápido.


Tratamentos estéticos que diminuem a flacidez:


Esses tratamentos tem um resultado muito bom se feito logo quando notar a flacidez, já que o resultada varia de acordo com o nível da flacidez da pele.

Carboxiterapia: é um tratamento injetável, quem consiste em aplicar gás carbônico nos tecidos da pele. Melhorando celulites, estrias, flacidez e gordura localizada. Ele pode ser aplicado em diversas partes do corpo como braços, abdômen, coxas, glúteos. Ele tem seus benéficos, mas muita gente avisa que o processo é doloroso, mas que o resultado vale a pena.

Mesoterapia: é um tratamento injetável, é uma técnica também conhecida como aplicação de enzimas, onde a uma mistura de quadro a cinco componentes diferentes, formando um coquetel. A aplicação é feita por meio de medicamentos na pele ou subcutâneo, apresentando poucos efeitos colaterais, vários são os remédios ou enzimas utilizadas pelos médicos, responsável pela escolha do tipo de medicamento para cada problema.  E os resultados são bons na melhoria de celulite, flacidez e gordura localizada.

Radiofrequência: tratamento consagrado baseado na emissão de ondas eletromagnéticas, que promovem o aquecimento superficial e profundo da pele, elevando a uma temperatura em torno de 42 graus. O calor causa um estímulo da produção de fibras colágenas e elásticas, bem como provoca um aumento da circulação sanguínea e, dessa forma, trata e previne a flacidez de pele. Há vários tipos de equipamento que emitem radiofrequência unipolar, bipolar ou multipolar.

Laser Infravermelho: a luz laser infravermelha penetra profundamente na pele e, por isso, é capaz de estimular a produção de colágeno, elastina e outros componentes responsáveis pela sua elasticidade e sustentação. Vários aparelhos disponibilizam essa técnica.

Ultrassom microfocado: tecnologia inovadora em que cada disparo das ondas ultrassônicas origina pontos de retração da pele. Ao final de cada sessão, são realizados até 10.000 disparos, que aquecem pontualmente as camadas mais profundas da derme, local ideal para estimular a formação de colágeno e elastina, reduzir a flacidez e melhorar a elasticidade da pele. É utilizado, principalmente, na flacidez de face e pescoço.

Radiofrequência fracionada + ultrassom: moderno procedimento que possibilita a realização de centenas de microperfurações sobre toda a região da pele tratada, seguida de infusão de substâncias ativas com auxílio do ultrassom. Após a realização dos “furinhos”, que podem ter sua profundidade controlada, pode ser empregado um equipamento especial que emite ondas de ultrassom capazes de empurrar vários tipos de medicamentos no interior das perfurações. Isso permite que o médico possa infundir medicamentos específicos diretamente na camada mais profunda da pele, aumentando a eficácia dessa terapia, que pode contribuir para a redução da flacidez, bem como para vários outros problemas estéticos.

Fonte: http://www.minhavida.com.br

Simples assim

O frasco de maionese e café  


Um professor, durante a sua aula de filosofia sem dizer uma palavra, pega num frasco de maionese e esvazia-o...tirou a maionese e encheu-o com bolas de golf.

A seguir perguntou aos alunos se o frasco estava cheio. Os estudantes responderam sim.
Então o professor pega numa caixa cheia de pedrinhas e mete-as no frasco de maionese. As pedrinhas encheram os espaços vazios entre as bolas de golf.
O professor voltou a perguntar aos alunos se o frasco estava cheio, e eles voltaram a dizer que sim.
Então, o professor pegou outra caixa, uma caixa cheia de areia e esvaziou-a para dentro do frasco de maionese. Claro que a areia encheu todos os espaços vazios e uma vez mais o pofessor voltou a perguntar se o frasco estava cheio. Nesta ocasião os estudantes responderam em unânime "sim!".
De seguida o professor acrescentou duas xícaras de café ao frasco e claro que o café preencheu todos os espaços vazios entre a areia. Os estudantes nesta ocasião começaram a rir, mas repararam que o professor estava sério e disse-lhes:
"QUERO QUE SE DEEM CONTA QUE ESTE FRASCO REPRESENTA A VIDA."
As bolas de golf são as coisas importantes como a FAMÍLIA, a SAÚDE, os AMIGOS, tudo o que você AMA DE VERDADE.
São coisas, que mesmo que se perdessemos todo o resto, nossas vidas continuariam cheias.
As pedrinhas são as outras coisas que importam como: o trabalho, a casa, o carro, etc.
A areia é tudo o demais, as pequenas coisas.
"Se puséssemos primeiro a areia no frasco, não haveria espaço para as pedrinhas nem para as bolas de golf. O mesmo acontece com a vida."
Se gastássemos todo o nosso tempo e energia nas coisas pequenas, nunca teríamos lugar para as coisas realmente importantes.
Ocupe-se sempre das bolas de golf em primeiro lugar pois representam as coisas que realmente importam na sua vida.
Estabeleça suas prioridades, o resto é só areia...
Porém, um dos estudantes levantou a mão e perguntou o que representaria, então, o café.
O professor sorriu e disse:
"...o café é só para vos demonstrar, que não importa o quanto a nossa vida esteja ocupada, sempre haverá espaço para um café com um amigo."

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

DIETAS - mitos e mentiras

Mito 1: Comer de três em três horas, em pequenas porções, é infalível para emagrecer

A teoria: A sugestão parece a “fórmula mágica” do emagrecimento, presente no discurso de 10 em cada 10 especialistas. Quem conseguiu emagrecer três números no manequim também costuma dizer que o segredo foram as múltiplas refeições. 

Cláudia Cozer, diretora da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade (Abeso) diz que a recomendação é justificada porque “evita diminuição do metabolismo e que a pessoa não chegue às refeições principais com uma fome exagerada”. Mas não é sempre que dá certo.

Quando não funciona: Comer a cada três/quatro horas pode não funcionar “se você come mais do que gasta”, explica Cláudia Cozer. Neste caso, o efeito é inverso e “você engorda”, atesta. 
Portanto, não adianta achar que os espaços mais curtos entre as refeições dá passe livre para qualquer alimento. Mesmo comendo em pequenas doses, é preciso controle e exercícios físicos.


Mito 2: Não comer após as 20h é garantia de quilos perdidos

A teoria: Vira e mexe as refeições após as 20h entram no alvo e a recomendação é exterminá-las do cardápio. É fato que as pesquisas já mostraram que o relógio biológico é mais lento à noite e que as compulsões (ao estilo assalto da geladeira) acontecem mais neste período do dia. Mas o jejum noturno pode ser mais bandido do que mocinho.

Quando não funciona: Dormir com fome piora a qualidade do sono e interfere no metabolismo, o que dificulta a queima de caloria. “Portanto comer após 20h não tem problema, mas deve se comer uma quantidade adequada e com menor teor de calorias possível, senão o prejuízo é engordar e ter um sono ruim”, afirma Cláudia Cozer, da Abeso.

Mito 3: Substitua os alimentos por versão diet e light e perca peso já

A teoria: Doces sem açúcar, sobremesas e pães mais “magrinhas”. A data para o início do regime coincide com a corrida para as prateleiras dos supermercados que oferecem uma lista infinita de produtos diet e light. Em princípio, a troca parece ser só benefícios, mas a verdade é que ela pode ser um verdadeiro tiro no pé...

Quando não funciona: A Associação Brasileira de Defesa do Consumidor (Proteste) já alertou que a informação “diet” em uma embalagem não garante a qualidade nutricional e nem a redução de calorias. “No chocolate diet, por exemplo, a retirada do açúcar significa a adição de mais gordura, o que deixa a versão dietética tão ou mais calórica do que a tradicional. 

Portanto, na dúvida, não confie apenas no rótulo, compare a tabela nutricional dos produtos”, já orientaram os técnicos no site da Proteste. Comer sem peso na consciência não significa que os quilos extras não vão pesar mais tarde.

Mito 4: Fazer exercícios 30 minutos por dia é suficiente para emagrecer

A teoria: Meia hora no relógio fazendo exercícios físicos é a chave para perder peso. Solução rápida, prática e que pode ser incorporada na rotina sem prejuízos dos compromissos. Ninguém nega que mexer o corpo é ação muito melhor do que o sedentarismo, mas o efeito não necessariamente é um alívio nos ponteiros da balança, comprovou pesquisa recente.

Quando não funciona: Uma pesquisa feita pela Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, e publicada em maio no jornal da Associação Americana de Medicina, mostrou que é preciso, no mínino, uma hora de caminhada, ginástica, dança ou luta para a atividade surtir efeito na manutenção do peso, conforme mostrou acompanhamento por 15 anos de 34 mil mulheres, com idade média de 54 anos. Quem só tem 30 minutinhos disponíveis durante o dia não precisa voltar para a categoria sedentário. Mas o consenso é que a meia hora traz mais benefícios cardiovasculares do que estéticos.




Mito 5: Reduzir calorias drasticamente por um período emagrece para a vida inteira

A teoria: As dietas das musas ganharam o gosto popular e viraram moda. São restrições alimentares severas, algumas sugerem água, limão e só. Por 15 dias. Mas vale a pena passar por tamanho sofrimento, já que o corpo vai ganhar outra forma após duas semanas, certo? Errado. A solução é um balde de água fria para os adeptos da “dieta zero”.

Quando não funciona: regimes com menos de 900 calorias/dia, em geral, não emagrecem de forma contínua e permanente. “Comendo muito pouco, o indivíduo até ganha peso”, alerta a diretora da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (Abeso), assim como 31 estudos que acompanharam por cinco anos pessoas que fizeram dietas com menos de 1200 calorias diárias. Realizada por pesquisadores da Universidade de Minnesota no ano 2000, a análise das publicações identificou que após cinco anos da data inicial do regime restrito, todos os participantes haviam recuperado o peso que haviam perdido.


Mito 6: As chamadas “gorduras do bem” estão totalmente liberadas.

A teoria: A palavra gordura foi atenuada quando os cardiologistas começaram a divulgar que, assim como tudo na vida, também existe o lado bom do termo. Ao contrário da "prima má", a chamada gordura trans, existem alimentos que são ricos em “gordura do bem”, presente na amêndoa, castanha e abacate. Virou recomendação médica, presente em dietas feitas pelo Hospital do Coração (Hcor) e Instituto do Coração (Incor). 

Roberta Cassoni, diretora do departamento de nutrição da Sociedade Paulista de Cardiologia (Socesp) até sugere que os representantes da categoria substituam o amendoim e salgadinho. Mas, se consumidos em excesso, o efeito pode ser contrário.

Quando não funciona: Se consumidos em doses excessivas, mais de quatro punhados, a gordura do bem vira do mal no organismo. Apesar de serem protetores do coração, são extremamente calóricos e, sim, engordam.

Mito 7: Macarrão engorda e deve ser banido do cardápio

A teoria: É só começar a fazer dieta para o macarrão ser jogado para escanteio. As massas são proibidas, engordam e o regime que se preza é feito só de saladas e grelhados. Os nutricionistas, porém, absolvem o macarrão.

Quando incluir massas: Todos os especialistas em nutrição defendem os carboidratos como fundamentais na pirâmide alimentar. As massas, portanto, não devem ser excluídas pois sem elas a disposição para os exercícios também vai embora. 

O próprio Vigilantes do Peso, grupo referência nacional no emagrecimento, sugere a opção de macarrão integral como ideal para quem quer perder os quilos a mais. O que engorda o macarrão? O molho. Olhe no rótulo das embalagens prontas de tomate, a quantidade de sódio sempre é altíssima, o que aumenta o índice de gordura e piora o controle da pressão arterial. Queijo, tomate seco, carne são outros ingredientes que tornam o macarrão um vilão do regime. Então não aposente o alimento, mas cuidado com o molho. A Sociedade Americana de Nutrição já alertou que, sem molho, um prato de macarrão chega a ter menos 600 calorias.

Mito 8: Café ajuda a perder peso

A teoria: As xícaras de café intercalam a vida dos que fazem dieta, com a certeza de que o líquido escuro e amargo será como vara de condão para fazer sumir a fome. A bebida, alertam os especialistas, até é considerada como um acelerador do metabolismo, mas o efeito pode ser outro.

Quando não funciona: “O café com adoçante não tem caloria, não engorda, alguns trabalhos mostram que pode ajudar a aumentar o metabolismo e favorecer a perda de peso, mas outros estudos não conseguiram confirmar esses dados”, afirma Cláudia Cozer da Abeso. “Recomenda-se no máximo 4-5 doses/dia, porque a cafeína pode causar gastrite, irritação, alteração do sono”, diz. Todas estas consequências do excesso são inimigas do emagrecimento.

Mito 9: Dieta só de proteína ou só de carboidratos é o segredo para mudar o corpo

A teoria: Desde a década de 90, começaram a pipocar dietas chamadas exclusivas. Os cardápios – que poderiam ser usados por 15 dias ou 30 no máximo – priorizam ou só alimentos da família dos carboidratos ou só das proteínas. A mudança de peso momentânea, porém, não dura muito tempo.

Quando não funciona: A nutricionista Tânia Rodrigues, que mantém o site RGNutri, escreveu no portal que como as gorduras saturadas são liberadas nestes tipos de regime, há um aumento no colesterol e na pressão arterial, que facilitam justamente o acumulo de gorduras. A eliminação de quilos, portanto, não é acompanhada por um corpo bonito.

A Associação Americana de Dietas, reforça que é a combinação entre os dois (carboidratos e proteínas) que promove a sensação de saciedade e portanto a ingestão de menos comida. Por fim, Cláudia Cozer da Abeso arremata que “não existe embasamento cientifico para se afirmar que comer só um grupo alimentar possa trazer algum beneficio a perda de peso”.

Fonte: http://saude.ig.com.br/bemestar/caem+os+mitos+da+dieta 

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Sua pele é o que você come

Beleza não põe mesa, mas está à mesa. A alimentação balanceada, além de fazer bem à saúde, ajuda a tornar as pessoas mais bonitas e atraentes.


A cada dia são descobertos novos benefícios em alimentos que transformam a pele, os cabelos e as unhas em fortes aliados da beleza.
"A pele é resultado da sua alimentação. Os nutrientes que estão presentes no corpo, vão nutrindo sua pele. Portanto, se a alimentação não é saudável, a pele não terá acesso a esses nutrientes que poderiam deixá-la muito mais bonita", diz Fernanda Giannecchini, nutricionista da Clínica Onodera Estética.
Para se ter uma pele bonita e hidratada nada melhor do que aproveitar os alimentos considerados mais leves. "A alimentação mais saudável para a pele é aquela balanceada, rica em fibras, vegetais crus, frutas, legumes, leite e derivados magros. Além de possuírem importantes vitaminas e minerais que neutralizam radicais livres, esse alimentos contém fibras que melhoram o funcionamento do intestino", afirma Fernanda.
Os alimentos também contribuem na hora do bronzeado. Para a dermatologista Ligia Kogos, as mulheres que querem uma coloração dourada devem ingerir alimentos como cenoura, mamão papaia, abóbora e brócolis. "Esses alimentos têm betacaroteno, que ajudam a prolongar o bronzeado", declara.
Acnes
Ter uma pele lisinha, livre de cravos e acnes, é o que muitas mulheres desejam. Mas isso depende também de um bom ritual alimentar. "A oleosidade da pele e o surgimento da acne são problemas de inúmeras causas. As alterações hormonais são as principais responsáveis, principalmente na adolescência. Apesar disso, a boa alimentação, associada a um estilo de vida saudável, pode amenizar o problema", afirma Ligia Kogos.
Segundo a nutricionista Fernanda Giannecchini, a alimentação mais recomendada para evitar a acne são os vegetais crus, frutas, legumes, leite e derivados magros.
"Beber muito líquido é uma outra boa medida para manter
a pele hidratada. Isso porque a hidratação se dá de dentro para fora", explica.
Ligia Kogos afirma que os alimentos ricos em gorduras são os principais causadores de acnes. "Evitar o consumo de alimentos ricos em gordura saturada, como carne bovina e suína, carboidratos e chocolates são dicas fundamentais para se ter uma pele saudável, pois esse tipo de gordura favorece a obstrução das glândulas sebáceas, piorando as lesões da acne", diz Ligia.

Envelhecimento
A alimentação exerce um papel importantíssimo na estética facial e corporal. Fernanda Giannecchini afirma que determinados nutrientes atuam na promoção e manutenção de uma pele saudável, no controle dos efeitos deletérios dos radicais livres e assim amenizam e retardam o envelhecimento.
Confira abaixo alguns hábitos e atitudes diárias que poderão ajudar na sua prevenção:
  • Manter uma alimentação saudável, equilibrada a base de frutas, legumes, verduras e carnes brancas, evitando alimentos gordurosos e industrializados;
  • Evite ou reduza o consumo de açúcar (sacarose) e de açúcar simples, devido seu efeito nefasto sobre o sistema digestivo e pela sua ação acidificante no sangue tende a criar problemas cutâneos, principalmente quando combinado com alimentos muito gordurosos, que impede a pele de respirar adequadamente;
  • Ingerir cerca de 2 litros de água por dia ajuda a hidratar a pele de dentro para fora, além de purificar o organismo;
  • Praticar atividade física ao ar livre, pois ajuda a levar sangue e nutrientes à pele e tonificando os músculos;
  • Dormir em média 8 horas de sono todas as noites;
  • Evite fumar. Fumar destrói a vitamina C, que mantém as fibras de colágeno presas à pele e a pele presa ao tecido adiposo subjacente, além de aumentar os radicais livres no organismo;
  • Evitar bebidas alcoólicas;
  • Limpar, tonificar e hidratar a pele no mínimo 2 vezes ao dia adequados ao seu tipo de pele;
  • Utilizar filtro solar, mesmo em dias nublados ou chuvosos;
  • Aprenda a descontrair-se e a levar a vida com menos seriedade. Sorria mais - quando estamos mais tensos toda pele fica mais enrugada e com aspecto mais velho.
  • Por:
    Luana Godoy
    Agência MBPress - Fonte: Ciberdiet.terra.com.br 


    quinta-feira, 12 de setembro de 2013

    SOBRANCELHAS - Dicas Preciosas

    Fonte: http://www.toaletefeminino.com - Postado por Camila Almeida


    Todas nós sabemos que quando bem desenhadas e compatíveis com o formato do rosto, as sobrancelhas não só realçam a beleza natural e a expressão, como também evidenciam as características pessoais.
    Por isso não dá para ficarmos andando por aí com as sobrancelhas em desordem, né? O problema é que nem sempre temos condição de irmos a um profissional especializado por falta de tempo ou outros motivos, e por isso hoje vamos dar algumas dicas para vocês conseguirem fazer as sobrancelhas em em casa, com uma boa e velha pinça aliada a alguns segredinhos revelados a seguir.


    O primeiro passo é identificar qual é o seu tipo de rosto para saber o formato ideal para as sobrancelhas.


    ROSTO OVAL: sobrancelhas ligeiramente angulosas, com os fios mais arqueados.
    ROSTO REDONDO: fugir das sobrancelhas finas que deixam a face mais rechonchuda e apostar nas angulosas.
    ROSTO QUADRADO: sobrancelhas angulosas, retas com uma curva mais acentuada na ponta.
    ROSTO LONGO: sobrancelhas mais retas, horizontais.
    ROSTO CORAÇÃO: sobrancelha angulosa ou curvada.
    ROSTO TRIANGULAR e DIAMANTE: sobrancelha mais arredondada e arqueada.


    E depois de saber qual é o melhor formato pra seu rosto, chegou a hora de colocar a mão na massa e começar o trabalho(rs).

    Passo 1


    Penteie os pelos para cima com uma escovinha. Com pinça, retire a penugem que está entre as sobrancelhas, deixando a distância de um dedo entre uma e outra.

    Passo 2 
    Apare os fios muito longos com uma tesourinha, tomando cuidado para não cortar demais e reduzir o volume.

    Passo 3

    Tire os pelos da parte de baixo das sobrancelhas, eliminando somente os que estão invadindo as pálpebras. Não depile na parte superior da sobrancelha.

    Passo 4 

    Com um pincel chanfrado e a mistura de sombras marrom-escuro, médio e claro, cubra falhas ou alongue o formato. Finalize penteando os fios com rímel transparente ou usando escovinha com spray fixador.
    Produtos Sugeridos

    quarta-feira, 11 de setembro de 2013

    Acerte o corte do seu cabelo

    Um dos Posts mais visitados no Blog fala sobre corte de cabelos pra Gordinhas, encontrei mais um manual de cortes que pode ser uma boa dica na hora de cuidar das madeixas :)


    Curto, médio ou longo? Descubra, seguindo nosso guia, qual comprimento mais combina com você
    Se o cabelo não está em ordem, não há roupa, brinco ou colar que dê jeito. Na verdade, ele é o grande acessório da produção feminina. E também o xodó da maioria das mulheres. Acertar no corte ressalta as qualidades do rosto, dá estilo e deixa a mulher mais segura. Para determinar as modelagens que funcionam melhor em cada caso, deve-se levar em conta a textura dos fios, o formato do rosto, o tipo físico e o tempo que cada pessoa tem para cuidar do visual. Também é necessário considerar o que cada corte diz a respeito de quem o exibe. Os longos são sinônimo de sensualidade, os curtíssimos demonstram confiança, os curtos dão um ar de feminilidade e os médios exalam uma idéia de luxo, de aparência bem cuidada. Conheça as opções e avalie a melhor para você

    Dica: Antes de definir o corte, veja fotos e converse muito com o seu cabeleireiro.



    CurtíssimosCaracterísticas do cabelo
    Combinam com a maioria dos tipos de fio. Ondulados e encaracolados de textura média ou grossa ganham modernidade se desfiados com navalha ou tesoura. Os crespos podem ser trabalhados de forma étnica e radical, e os lisos ficam melhores repicados. Se os seus cabelos são finíssimos, cuidado. Eles podem sumir se cortados rente à cabeça.
    Peso e altura
    Caem melhor em mulheres miúdas ou nas altas de corpo alongado.
    Formato do rosto
    Como salientam as feições, combinam mais com mulheres de aparência delicada. A maioria dos cabeleireiros não recomenda os curtinhos para quem tem traços muito marcantes. Se você for assim e quiser um visual ousado, adote-o. É preciso apenas se sentir segura.
    Truque Se você é adepta dos curtos, valorize os olhos com rímel e lápis escuro.
    Mulheres maduras
    Em tese, os cabelos longos caem melhor nas jovens, pois são sensuais. Porém, se você assume uma postura sexy e jovial, pode ostentar uma cabeleira farta e esvoaçante enquanto se sentir segura.

    CurtosCaracterísticas do cabelo
    Finos e médios são ideais para cortes na altura do queixo ou do pescoço e podem ser usados em cabelos lisos, ondulados e até enrolados - Ana Paula Arósio ficou linda desta maneira. O perigo é usá-lo em mechas espessas, volumosas e crespas, pois eles podem armar.
    Peso e altura
    O comprimento evidencia os quilos em excesso. Esses curtos não favorecem mulheres de formas andróginas. A feminilidade do corte contrasta desfavoravelmente com a postura corporal vigorosa.
    Formato do rosto Arredondados ou em forma de coração e com traços femininos ficam ótimos em comprimento intermediário. O corte, porém, se adapta às mais variadas situações. Uma franja comprida e jogada para o lado alonga rostos redondos, enquanto camadas repicadas na lateral suavizam maxilares quadrados.
    Dica Para um charme extra, peça ao cabeleireiro que crie repicados irregulares.

    MédiosCaracterísticas do cabelo
    Todos os tipos se adaptam ao comprimento médio. Até mesmo os mais armados ficam bem na altura dos ombros. Quando atingem essa extensão, adquirem peso, perdendo corpo. É claro que o produto certo sempre ajuda. Modeladores e intensificadores de cachos domam ondulados rebeldes. Já os volumizadores aumentam a textura dos finos.
    Peso e altura
    O cabelo médio continua neutro. Ele cai bem em altas, magras, gordinhas e baixinhas, sem preconceito ou restrição.
    Formato do rosto
    Da mesma forma que fazem o maior sucesso em todo o universo de texturas, os médios se adaptam bem a qualquer característica facial. É preciso apenas fazer alguns ajustes no penteado, como acrescentar um leve desfiado nas pontas ou uma franja longa e repicada para suavizar expressões fortes, testas muito altas, narizes grandes ou traços arredondados.

    LongosCaracterísticas do cabelo
    Fios grossos e crespos ficam pesados e sem vida quando estão compridos. Os finíssimos podem ficar escorridos. Quem se encaixar em uma dessas descrições e quiser aderir ao longo tem duas saídas: repicar as pontas o que dá leveza ao encaracolado ou partir para um alongamento capilar, técnica que contribui para tornar as mechas mais cheias.
    Peso e altura
    Baixinhas, desistam. Os modelos extralongos achatam a silhueta. Estão liberados para quem está acima do peso.
    Formato do rosto
    Manter o cabelo longo é uma ótima alternativa para suavizar maxilares quadrados, bochechas redondas e faces largas. Camadas nas laterais ajudam a atenuar essas características. Mulheres de feições delicadas devem ficar atentas para que a beleza não desapareça sob a cabeleira.
    Dica
    Luzes e reflexos embelezam e suavizam mechas mais compridas.

    terça-feira, 10 de setembro de 2013

    Vibrador foi inventado para fins medicinais

    Vibradores eram utilizados como remédio contra a "histeria" no século 19


    Fonte: www.noticias.terra.br

    Em um mundo onde o desejo sexual das mulheres era tratado como doença, o vibrador foi apresentado como a cura. Parece mentira, mas não faz tanto tempo assim: o vibrador foi inventado no século 19 para ajudar no tratamento de sintomas atribuídos a uma doença conhecida como “histeria”. Demorou até que o orgasmo feminino fosse aceito, a psiquiatria abolisse conceitos antigos e o acessório ocupasse um espaço na gaveta de mulheres completamente saudáveis.

    A histeria

    Nas primeiras décadas do século 19, mulheres que apresentavam irritabilidade, insônia, ansiedade, dores de cabeça, choro e falta de apetite, entre outros sintomas, eram diagnosticadas com “histeria”, uma doença psíquica tida como exclusivamente feminina. O problema, acreditava-se, era causado por perturbações no útero. “Na medicina hipocrática, ao contrário do Egito antigo, um ativo desejo feminino por sexo e seus sintomas - inclusive excitação, fantasias eróticas, lubrificação vaginal e comportamento em geral melancólico ou irracional - eram conhecidos como uma doença chamada histeria - literalmente, doença causada por um deslocamento do útero”, esclarece o jornalista Jonathan Margolis em seu livroO: The Intimate History of the Orgasm ("A história íntima do orgasmo", lançado no Brasil pela Ediouro).

    Assim, para amainar a “histeria”, o tratamento recomendado era a massagem no clitóris, feita diretamente pelo médico, em consultório. Com as mãos, o médico estimulava a paciente até que ela atingisse o “paroxismo histérico”, conhecido hoje como orgasmo. Depois de uma sessão de gemidos e gritos, a mulher ficava mais calma, e os sintomas desapareciam - pelo menos por um tempo.

    Esse mesmo tratamento já havia sido indicado muito antes, em 1653, pelo médico holandês Pieter Van Foreest, quando publicou um compêndio médico com um capítulo sobre doenças femininas. Para a histeria, Foreest aconselhava o auxílio de uma parteira para realizar a massagem na genitália, com um dedo dentro da vagina, usando óleo de lírios como lubrificante.

    “Essa suposta doença exibia uma sintomatologia compatível com o funcionamento normal da sexualidade feminina, e para a qual o alívio, não surpreendentemente, era obtido através do orgasmo, seja através de relações sexuais com o marido ou por meio da massagem na mesa do médico”, explica Rachel P. Maines, cientista visitante na Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação da Universidade de Cornell e autora do livro The Technology of Orgasm: “Hysteria”, Vibrators and Women’s Sexual Satisfaction (“A tecnologia do orgasmo: histeria, vibradores e a satisfação sexual das mulheres”, em tradução livre).

    Nos consultórios

    Com ou sem marido, as mulheres passaram a lotar os consultórios médicos em busca da “cura” para a histeria. E os médicos passavam horas masturbando suas pacientes, preocupados com sua saúde. Para Rose Vilella, psicóloga com formação em sexualidade humana e mestre em ciências da saúde pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), além da falta de conhecimento, o orgasmo feminino não era reconhecido devido ao machismo de não enxergar a mulher como um ser capaz de expressar seus desejos e satisfações sexuais. “A sexualidade feminina sempre sofreu com a repressão, nesta época principalmente, em que o órgão sexual na mulher era puramente para procriação”, ressalta.

    Mas a massagem clitoriana era uma tarefa maçante, e muitas pacientes demoravam horas para atingirem o tal “paroxismo histérico”. Com isso, os médicos começaram a ter problemas nas mãos devido ao esforço repetitivo, e novas alternativas passaram a ser testadas. A primeira delas foi um jato de água diretamente no clitóris. Como o método não rendeu bons resultados, um acessório diferente foi inventado.


    O vibrador

    Para agilizar as sessões nos consultórios, o médico americano George Taylor patenteou, em 1869, o primeiro vibrador, a vapor, e o batizou de "The manipulator". Embora fosse um aparelho grande e de aparência assustadora, o aparato levava as mulheres ao orgasmo mais rapidamente, permitindo aos médicos descansar as mãos e atender mais pacientes.

    O vapor não durou muito. Em 1880, o médico inglês Joseph Mortimer Granville inventou o vibrador movido à manivela. Aperfeiçoada, a ideia se materializou em 1902 no primeiro vibrador elétrico, lançado pela empresa americana Hamilton Beach.

    Nessa época, os vibradores deixaram de ser usados apenas nos consultórios médicos, e as mulheres passaram a tratar a “histeria” em casa. Ainda assim, o conceito de que aqueles sintomas caracterizassem uma doença só foi abolido pela Associação Americana de Psiquiatria em 1952.


    Propaganda

    Nas duas primeiras décadas do século 20, uma variedade de modelos, em todas as faixas de preço e com vários tipos de energia, eram anunciados livremente em catálogos e revistas femininas. “O aparelho foi comercializado principalmente para as mulheres para ajudar na saúde e a relaxar, em frases ambíguas, como ‘Todos os prazeres da juventude...vão pulsar dentro de você’", relata Rachel.​

    Os filmes pornográficos subverteram essa ideia. Neles, atores começaram a usar o acessório a fim de promover o prazer de suas parceiras. Com isso, a imagem do vibrador ganhou uma conotação negativa na sociedade. “Então ele deixou de ser usado e comercializado com finalidade terapêutica. Começou-se a associar a utilização do vibrador com mulheres vulgares”, justifica Rose. Logo o aparelho desapareceu das revistas e dos consultórios médicos.

    Os fabricantes até tentaram formas mais discretas de divulgar o produto, anunciando seu uso em outras partes do corpo, vendendo-o disfarçado em caixas de aspiradores de pó, e até como um acessório que, uma vez conectado, poderia ser utilizado para outras finalidades, como prova o anúncio “A ajuda que toda mulher necessita”.

    O verdadeiro atributo


    Apesar do esforço publicitário, os vibradores sumiram dos impressos respeitáveis e ficaram “escondidos” até a década de 1960. “O vibrador retornou nos anos 60, junto com o conceito de orgasmo visto como prazer, com a revolução sexual feminina da descoberta da pílula anticoncepcional, que mostrava que o sexo não era mais visto única e exclusivamente como função reprodutora”.

    Foi assim que o vibrador passou a ser vendido como acessório sexual, em vez de instrumento médico. Inclusive, pontua Rachel, “sua eficácia na produção de orgasmo em mulheres tornou-se um argumento de venda no mercado consumidor”.

    Tendências da Moda Verão 2014

    Fonte: www.modaverao2014.com 

    Aqua fresh é a tendência mais atraente desta temporada. Há muitos tons, mas o azul piscina é a cor do verão.Os bordados aparecem com tudo, pedrarias, pérolas, aplicações, enfim eles estão em alta e dão a liberdade de você soltar a criatividade e sair customizando as suas roupas e acessórios.

    Estampa Floral
    Na primavera/verão as flores não estão decorando apenas as paisagens, elas aparecem nas roupas com as mais lindas e charmosas estampas da estação, florais tropicais, florais decorativos (com fundos de cores variadas), aplicações floridas, os florais devem aparecer com fundo claro ou branco, mas ganha destaque também a estampa floral com fundo escuro.
    Com sua transparência e força, a organza aparece como o tecido da estação. Ela voltou!  A renda aparece em toda a peça ou apenas em alguns pedaços como detalhes, a renda guipir aparece para dar um toque de romantismo às peças. A seda é o tecido que é a cara do verão, fresquinha, geladinha, elegante e prática ao mesmo tempo. Aparece sozinha ou em variações como palha de seda, malha e tear de seda, linho com seda.
    Em época de crise econômica mundial, as cores são comerciais, fáceis de vender e de comprar. Branco total, preto total, preto e branco, off-white, ultra clássicos e facílimo de combinar.
    As saias tomam o lugar dos vestidos e vem com tudo, saias godê, lápis, plissadas, curtas e médias, aposente as saias longas.
    As formas e cortes retos e geométricos  somados à assimetria aparecem com força total nas araras. Outra novidade é o tweed, o tecido que é típico de inverno vem para aquecer aqueles dias mais “friozinhos” do verão.

    Continua na moda para o verão 2014

    Além das super tendências para essa estação ainda temos muitas coisas que continuam na moda.
    O animal print perdeu o ar de cafona e virou uma peça básica no guarda-roupas feminino.
    Se você ficou triste ao saber que a cintura baixa voltou não desanime, a cintura alta e marcada continua na moda. Combinações com top cropped ainda são bem vindas.
    As cores que estavam na moda no verão do ano passado continuam em alta nesse, laranja, vermelho, amarelo, tons de verde e azul.
    A estampa gráfica continua em alta e vem ganhando cada vez mais força, invista! As listras apareceram como a tendência para o verão 2012/2013, mas emplacaram de vez no inverno e chegam com mais força ainda para essa temporada. Fina ou grossas, horizontais ou verticais, coloridas ou em preto e branco.
    A transparência sem dúvida é o novo queridinho da moda, emplacou e cada vez ganha mais força, dificilmente cairá de moda, invista em peças com transparência.

    Não pode faltar no verão 2014

    Peças listras sejam preto e branco ou seguindo a tendência navy, calça cropped (capri), qualquer peça de alfaiataria, saias (lápis, godê ou plissadas), estampa floral, peças assimétricas, bordados.